segunda-feira, 30 de abril de 2012

Brincando de "massinha"!

É neh... eu sei, a preguiça de postar vem me perseguindo esses últimos dias, meses sei lá. Mas tem um motivo justo, eu estava brincando de massinha, rsrsrs brincadeira booooooooa e ainda ganho umas verdinhas,  se é que vc me entende hihihihihi, e já que eu não estou mesmo com vontade de escrever nada postarei mais algumas fotos do meu trabalho.
São caricaturas feitas à mão, modeladas em porcelana fria, uma massa popularmente chamada de biscuit, vale lembrar que aceito encomendas, é só mandar sua foto ou foto de alguma personalidade do seu agrado ou preferência para d.furfles@gmail.com e combinaremos a forma de envio, pagamento e etc ok! 
Espero que gostem.
 O Marinheiro Popeye! rsrs
uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu S.O.A.D
Metaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaal KISS
Cuidado com o Lado Negro da Força hein! rsrs
E para finalizar... um cara muito loko rs!
Em breve darei mais uma amostra das minhas bricadeiras de massinha! BJUS FOFUXOOOOOOOS

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Eu, a pele fria e a batraquiofobía!

Aquela pele nua me deixava nervosa, estática, em pânico.
Como se não bastasse estar nua, ser nua, era úmida e com uma leve viscosidade. Pensei em fugir, mas minhas pernas não mais me obedeciam, apenas tremiam sob o olhar lânguido seguido do sorriso natural daquela boca larga que por alguns segundos deixava transparecer sua espessa língua e a falta de dentes.
Não nos mexíamos mais, nem eu nem "a criatura", a minha pele estava fria de medo enquanto a sua já era de um frio natural o que aumentava meu sofrimento. E se ele avançasse repentinamente em mim e me tocasse com aquela pele cheia de glândulas e cromatóforos? Esse era meu maior medo. O clima se tornava mais tenso devido ao silêncio que horas era quebrado pelas batidas de seu coração de 3 cavidades e pela sua respiração branquial que fazia um aterrorizante " guock", ai esse "guock"... eu não aguentava mais, o jeito era chamar por ela, só minha mãe poderia me socorrer.
E a luta começou a ser travada, ela com suas poderosas armas balde, vassoura, água quente, pano de chão  ele fugindo e eu gritando, hum na frente da minha mãe vc foge seu safado, pensava eu, e quando ela conseguiu finalmente imobiliza-lo... "ufa", que alívio, eu estava livre daquele batráquio popularmente conhecido como SAPO.